sexta-feira, 21 de janeiro de 2005

Enfardamento.

Eu andava a evitar, mas hoje tem que ser. O Sr. Eduardo Prado Coelho é um dos cronistas mais ouvidos e lidos na categoria “Falo, falo, falo e não digo absolutamente nada”.

A sua crónica de hoje no jornal Público é um não texto. Ou seja, Uma data de palavras juntas que, apesar de estarem correctas na disposição técnica, não transmitem ideia nenhuma. Ainda para mais, o senhor fala de uma coisa, a "Sedes", e nunca chega a explicar o que isso é, o que faz ou o que representa.

Para esta crónica ser perfeita, faltou o Sr. Eduardo contar (só mais uma vez) que tem amigos com nomes grandes com quem passava férias em São Martinho do Porto na sua tenra idade.