terça-feira, 25 de janeiro de 2005

Prazeres públicos.

O principal problema em andar de transportes públicos é a falta de coerência na distribuição dos lugares. As pessoas mais bonitas nunca se sentam perto de nós. O lugar ao lado do nosso está sempre reservado para um serralheiro mecânico ou uma empregada de limpeza do hospital de Santa Maria. Além do mais, só nos transportes públicos ficamos a saber que existem livros com advérbios no título como “Desesperadamente Giulia”.