quinta-feira, 3 de fevereiro de 2005

Desperta-dor.

Assim que se levanta, o Sr. Pedro Santana Lopes deve pegar numa moca, daquelas de azinho com pregos que se vendem na feira da Azambuja, e macerar empenhada e repetidamente a sua grande cabeça.

Esta é a melhor parte do seu dia. Depois, é só enfrentar as agruras da incompetência diária. Nunca vi tamanha cavalgada em direcção ao suicídio politico e pessoal.

Acho que para o debate de hoje, basta ao Sr. com nome de filósofo ficar sentadinho e sossegado a ver o Sr. Santana a tratar da sua própria sepultura.