sexta-feira, 18 de fevereiro de 2005

História ou muerte!

Em termos de língua sou o mais conservador possível. Encetarei uma luta desenfreada contra todos os que obrigarem os poucos dicionários portugueses decentes a inserir a palavra “estória” nos seus meandros.