segunda-feira, 21 de fevereiro de 2005

Os discursos de zero a 20:

- Paulo Portas: 19 (grande discurso, grande carácter, lucidez e sensibilidade como já há muito tempo não se via);

- José Sócrates: 14 (foi bom e fácil para o vencedor. É sempre mais fácil para quem cilindra);

- Jerónimo de Sousa: 14 (foi bom e aborrecido, como de costume. É bom ver o PCP com ânimo e votos);

- Francisco Louça: 12 (foi regular. Se não tivesse começado logo a cagar postas de pescada teria sido melhor, mas não se pode pedir mais. Quer dizer, pode: exportem o Fernando Rosas se faz favor);

- Santana Lopes: 0 / zero (foi o que se estava à espera: pequeno demais para assumir o que quer que seja. Medíocre e xico esperto, vigarista e arrogante. Inteligência é coisa que nunca teve e que desconhece por completo).