sábado, 12 de março de 2005

Clearasil, pianos e rock'n'roll.

Depois de ter menosprezado as raízes rurais do miúdo, a opinião que cabe ao concerto de Mr. Rufus Wainwright, com os Keane na segunda parte. Som do grande Rufus: uma miséria, como infelizmente vai acontecendo a quase todas as bandas de suporte. Uma vergonha. Enfim, fechou-se os olhos, imaginou-se os dias da Aula Magna e a coisa ficou sarada.

Os Keane, não estando no meu TOP 100 de bandas preferidas ("Hopes And Fears" é um disco razoável, muitíssimo bem produzido, mas a atirar para o monótono), beneficiaram de um som bastante acima da média para o que o é habitual no Coliseu e de uma base de fãs abaixo dos dezasseis anos que lhes ofereceu um concerto de consagração em início de carreira. Um manifesto exagero, mas ainda assim serviu de catalizador para a performance dos meninos, que foi eficaz e, como se pretendia, entreteu. E, sim, Susana, confesso que aquela parte do "Bend And Brake" em que a música reduz o tempo para metade também me dá um certo frisson na espinha.

Agora, é esperar por dia 24 de Abril para tirar a barriga de misérias.