domingo, 3 de abril de 2005

Da mudança (3).

Uma das poucas vantagens de mudar de casa é ter a oportunidade de rever uma série de objectos que tínhamos dados como perdidos ou cuja idiossincrasia o tempo se encarregou de cobrir. Até ao dia em que peguei nos livros para os encaixotar e decidi abrir meia dúzia deles, ao acaso. É como diz aquela grande escritora cujo nome agora não me recordo, não há mesmo coincidências.