terça-feira, 19 de abril de 2005

Eu avisei.



Cá está. O mestre, ele próprio. Com o seu bigode inultrapassável a afagar um dos petiscos que apenas os eleitos conhecem. O Tony, pois então.

E agora mais uma prova da estupidez ilimitada do ser humano: uma vez, ouvi o mestre a contar que tinham lá ido ao restaurante uns senhores de uma associação protectora de animais para o tentarem demover de assar as lagostas ainda vivas.