quarta-feira, 31 de agosto de 2005

Coisas de que gosto lá na rua (1).

J. Grilo, talhante na casa dos 60, cada vez que paga uma italiana, saca de um generoso maço de notas de 50 e 100 euros onde, depois de dedilhar fervorosamente, descobre uma parente pobre de 5.

terça-feira, 30 de agosto de 2005

Coisas de que gosto cá em casa (3).


segunda-feira, 29 de agosto de 2005

Missão impossível.

Ouvir "Love Will Tear Us Appart" e ficar indiferente.

Galeria Backflip Tail Grind.

Não são quadros, são pranchas de skate, mas estão penduradas na parede e merecem muito mais dissertações do que muita arte comtemporânea. Em exposição permanente cá em casa, de há uns meses até um dia destes. Entrada gratuita.






O canibalismo é socialmente reprovável.*



* Private joke para quem já viu o filme, muito menos private para todos os outros. Imperdível.

Efeméride.



O nosso bacalhau celebra hoje uns muitíssimo cristãos 33 anos, o que, como toda a gente sabe, em qualquer tipo de salgado é um sinal de menos frescura. Resumindo, está todo acabadinho. Mensagens de pêsames aceitam-se na caixinha aqui de baixo.

Há três anos a rebentar com a escala.

- Ó pai, que crocodilo é este?

- É um de água salgada. O mais feroz que existe. Tudo o que se mexe ele come.

- Até um bacalhau com natas?

quinta-feira, 25 de agosto de 2005

Pitosga desde 1982.



Óculos dos meus 6/7 anos, recentemente desencantados de um qualquer baú pelo meu pai.

E depois do adeus.

Depois de um Inverno sem pinga e de um Verão em que tudo arde, porque é que algumas meninas das nossas rádios dizem coisas como esta: “…ruído bom para os ouvidos, e para combater as nuvens cinzentas desta manhã.”

Ouvi isto na Radar e fiquei a pensar nos vegetais. Nos verdadeiros e naqueles que parecem.

A única coisa que safou esta locutora é que também falou no fabuloso documentário “Os respigadores e a respigadora” de Agnès Varda, o que demonstra que lê.

terça-feira, 23 de agosto de 2005

Stress pós-traumático.

Acabei de ver o Jerónimo de Sousa a dançar num jantar/convívio do PCP, via RTP1. E ainda dizem que a malta que foi à Guerra do Vietname viu coisas que não consegue esquecer.

Pensamento matinal:



Tenho a impressão que cerca de 2/3 das miúdas giras deste engarrafamento se vinham aqui enfiar, caso soubessem o que por aqui se ouve.

Muito obrigado, pela parte que me toca.

sexta-feira, 19 de agosto de 2005

Outros sorrisos.

Muito mais rasgados, muito mais eternos, muito mais teus, vossos, nossos, meus.



Confissões de um optimista.

Com tanta polémica levantada, só anseio pelo dia em que a dita se sente.

Com um abraço especial para aqui.

quinta-feira, 18 de agosto de 2005

À falta de Lucy Liu.



Obrigado ao meu amigo Rui pelo empréstimo do braço propriamente dito.

Sexo em Agosto:

É à quinzena, como eu gosto.

Então e o preço do petróleo?



Ninguém fala do preço do petróleo?

P.S. Algo me diz que estava mesmo a fazer falta aqui. Tanto lusco-fusco e tanta comida étnica, apre gaitinha!

O Nietzsche hoje ensinou-me isto:

A cultura é apenas o que pensamos que nos distingue de um cabreiro.

quarta-feira, 17 de agosto de 2005

Em dias de verão mais fresquinhos,

usa e a blusa.

terça-feira, 16 de agosto de 2005

No verão dorme-se bem é de ventoínha ligada.

Pois, pois.

segunda-feira, 15 de agosto de 2005

Lusco-fusco.

Cinco, sete minutos, mas intensos.

quinta-feira, 11 de agosto de 2005

Em trânsito.

Mesmo na cidade, mesmo sem férias marcadas, é sempre possível encontrar uma forma de viajar até aos mais exóticos e longínquos destinos - hoje, Índia e Nepal.





Agora é que vai ser.

Comprei isto.

Globalização - porque há malta a comer gelados com a testa.

Senão vejamos: não acham estranho os manuais de qualquer eletrodoméstico, ou aparelho eletrónico, ter no capítulo de não funcionamento do aparelho, como primeira alínea, a sugestão de se verificar se este está ou não ligado à corrente?
Desta vez o excesso de zelo vem num mini-folheto que acompanha um capacete de bicicleta. Antes das 16 linhas a explicar como ajustá-lo à cabeça, o fabricante sugere vivamente a leitura do mesmo antes de cada utilização. Lá está, vou fazê-lo, enquanto espalho o resto do Macadamia Brittle da Häagen-Dazs® na fronte.

terça-feira, 9 de agosto de 2005

Claras noções de marketing.



Cartaz numa feira gastonómica a anunciar os préstimos do restaurante "O Charneco".

O horror, o horror.

O Painel vai fechar três semanas em Agosto.

Desabafo.

Tenho muitas saudades deste senhor, deste senhor e, sobretudo, deste senhor.

domingo, 7 de agosto de 2005

Fernando Pereira na RTP1.

Anda p'raí malta a defender a liberalização (ou despenalização) das drogas leves, quando a grande luta deveria recair sobre a venda livre do napalm. Napalm ou muerte, digo eu.

Lugar à porta, cinemas vazios, Jazz na Gulbenkian.

E se Agosto tivesse 365 dias?

Esplendor na relva.

champo

quinta-feira, 4 de agosto de 2005

Outros arraiais.

feira1

feira2

feira3

Estar a tentar.

De todas as revelações íntimas fornecidas por terceiras pessoas que não as próprias, gosto particularmente das que informam que casal x ou y, na altura de vida em que é comum ter descendência, estão a tentar. Afloram-se-me várias imagens, diferentes de caso para caso. Sobre algumas sou mesmo obrigado a dizer que não precisava de saber isso.

quarta-feira, 3 de agosto de 2005

Marte, Vénus e por aí fora.

noite

Retrato do artista enquanto reflexo.

me

Do-re-mi.

Vinha aqui com o propósito de elogiar os Editors, a next big thing da pop britânica, toda ela devedora da herança de nomes dignos de inúmeras vénias, como os Joy Division, Jesus&Mary Chain ou Echo&The Bunnymen (com um bizarro toque vocal de David Fonseca) e, aqui chegado, só me apetece dizer que o "OK Computer" e o "Mellon Collie And The Infinite Sadness" são os melhores discos de sempre. Shit happens.

Casamentos.

Já tudo foi feito para que uma festa de casamento não fosse uma festa chapa 5: temas, animação variada, babysitters, hospedeiras, menus, centros de mesa, decoração, banda/Dj, bebidas novas, o que quiserem. Mas a verdade é que uma festa de casamento continua a sê-lo. Creio ter uma solução inovadora para se sair desta monotonia: a introdução de um dealer oficial, devidamente identificado.

Estou de férias.

Até dia 15 sou um dos que vos deixa mais espaço na cidade. Não vão para longe.

Eu, o atleta.

tenis

skate

terça-feira, 2 de agosto de 2005

A seguir entra Agosto.

Quim Barreiros já o cantava e eu acho bem. É de facto o melhor mês para se estar na cidade.

Verão nada.

O título é um bocado de anúncio de Pizzaria (Venham à, nome de pizzaria, e verão). Siga. Quando viajo de comboio nesta estação do ano, observo o número de pessoas que mergulha entre as praias de Carcavelos e Caxias e só posso pensar, que para além do mau saldo das suas contas, estas pessoas nunca associaram duas palavras como resíduos e sólidos.

O terceiro pior sítio do mundo.

Depois de Cacia e Estarreja acho que é sem dúvida Alcântara.

segunda-feira, 1 de agosto de 2005

There's no place like home.

Nasci para viver num outro lugar.

casa

Sabemos que temos uma vida social activa quando...

recado

Doença infecto-contagiosa.

Para estes amigos e outros por vir.

catan1

catan2

catan3

Status quo.

benfica1

benfica2