sexta-feira, 4 de novembro de 2005

Mário Soares.

Certa vez, o filho deste senhor teve um acidente de avião. Por terras de África, onde ninguém desconfiava, ele e a sua rica carga, acabaram no chão, perto demais do escândalo.

O seu pai, então presidente da república de Portugal, afagou-lhe o espírito e a nuca com a mão esquerda. Com a direita abafou o marfim e os diamantes que na queda ainda bateram na cabeça do rebento maduro.

Anos mais tarde, alguns africanos lembraram a antiga metrópole da desventura. Na república levantaram-se vozes ignorantes mas empenhadas em exigir pedidos de desculpa. Podia lá ser o nosso João andar a traficar e a enriquecer lá naquela terra, onde tudo e todos são pobres!

Os amigos são para as ocasiões e se forem da polícia judiciária ainda nos mostram histórias lindas. Abafadas mas lindas.