terça-feira, 8 de novembro de 2005

Poucas e boas.

Poucas coisas me deixam tão feliz como uma história demasiado estúpida para não ser verdade.

Uma vez ouvi um caçador contar: depois de acertar num pato e descer uma ribanceira para o apanhar, vinha a subir, escorreguei e cai com a mão que trazia o pato em cima da cabeça de um coelho e pumba apanhei-o logo ali.