domingo, 11 de dezembro de 2005

Boa tarde, era um choque e a conta por favor.



A luz, ofuscante, o flashback que resume uma vida em décimos de segundo, a experiência de estar fora do meu corpo a olhar para baixo - meus amigos, eu estive do lado de lá e voltei. As circunstâncias pouco ou nada importam, mas podem ser resumidas em poucas linhas. Ou, como me têm dito, esta história é boa demais para não ser contada.

Cenário: loja de instrumentos musicais. Decido experimentar uma guitarra eléctrica, uma Gibson Les Paul Goldtop Custom, santo graal de metade dos candidatos a "guitar gods" do mundo (a outra metade venera a eterna rival Fender Stratocaster). Tudo bem, o som cristalino perfeito, a ilusão de que toco alguma coisa também confere, enfim, um final de manhã quase perfeito. Quando me decido levantar, guitarra na mão, milhares de amperes percorrem-me o corpo durante vários segundos, no que virá doravante a ser conhecido como "a electrocussão". Por sorte, um amigo presente na loja decide contrariar qualquer convenção na forma como lidar com uma sobrecarga de energia e toca-me, transferindo o choque para ele, fazendo estourar o quadro da dita cuja.

O resto são minudências: queimaduras de segundo grau nas mãos, dores musculares insuportáveis nos braços, peito e costas, dificuldade em respirar, várias horas em Santa Maria, várias idas à farmácia. Agora, depois de ter passado uns dias a olhar de esguelha para a minha velhinha Squire, volto a enfrentar as cordas, o corpo, o braço, os pickups e o trémulo. Fui ao outro lado dar uma volta e regressei. Ou, como me disse um dos médicos, "você mais cinco segundos e não se levantava mais". Ah, a classe médica, sempre com uma palavra amiga à nossa disposição.

Entretanto, e num gesto de simpatia desmesurada, o dono do estabelecimento prontificou-se a oferecer-me uma guitarra semelhante à que esteve na origem d' "a electrocussão". Satisfeito e surpreendido com o resultado da empreitada, estou a pensar ir semana que vem à Worten meter os dedos numa tomada a ver se saco um plasma de 82 cm que ficava mesmo a matar por cima da lareira cá de casa.