sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

Natal sentimental.

As montras, as luzes, a forma como educada e espontaneamente deixamos o próximo passar à frente no trânsito do Marquês, a família mais perto, não há desculpas para tamanha pieguice - gosto mesmo do Natal e não tenho vergonha. Ok, só um bocadinho quando olho para os pais natais asiáticos pendurados nas varandas. É impressionante a facilidade com que se compra uma pressão de ar nos dias de hoje.