segunda-feira, 26 de dezembro de 2005

O meu Natal.

O Natal não é só a festa da fraternidade e da celebração da humanidade. O Natal não é só a festa dos comerciantes, que a é também, que em mês e meio fazem a facturação do ano. O Natal não é só deixar passar no engarrafamento da Av. de Ceuta o automobilista da fila do lado. O Natal é, sobretudo, a festa dos ausentes, dos que partiram precocemente, dos que são recordados o ano inteiro mas que nos apertam um bocadinho mais o peito nestes dias que passam. Gosto muito de ti, avô.