quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

Vários, mas principalmente odeio o Natal.

Já vos tinha dito que andava sem net, e que à pedincha, ando aqui e ali a sacar 10 minutitos para ver mails e ler os outros dois pasteis?

Ando sem paciência nenhuma para a blogosfera, sendo que o maradonna não faz parte deste bolo.

Estou a planear um estudo para provar que as luzes de natal não servem pra nada. E que as traças e o natal estão interligados: sempre que se tiram os enfeites, árvore e afins lá estão elas. (Valeu o espírito natalício da Bárbara, de 3 anos, que assim que as viu e as esmagou, desviou completamente a sua atenção para a vida animal, ficando os enfeites abandonados ou a servirem de armas de arremesso).

Tenho amigos a competir estadias em hospitais: depois da electrocussão do Nata, ando dia sim dia não a visitar outro amigo que fracturou a tíbia e o perónio num half pipe.

E finalmente ando à procura da razão porque ainda não se inventaram enbalagens funcionais para os rolos de papel de alumínio e celofane, se é assim que se escreve.

Mas meus amigos, o ano novo traz-me, em antecipação, uma vida nova.

Wait for me.