segunda-feira, 3 de abril de 2006

Não ficava tão surpreendido desde que descobri que a minha parabólica pirata deixou de apanhar o canal espanhol “Caza y Pesca”.

Parece que um procurador da república andou a fazer telefonemas ameaçadores a umas juízas e que, enquanto gritava, disparava tiros de pistola. Para além disto, ainda lhes enviava bilhetinhos com cruzes suásticas e ameaças de morte no verso. No fim, apanhou um táxi sozinho e foi até ao Júlio de Matos pedir que o internassem, e eles internaram.

A pergunta que se coloca: Será que, se organizarmos um peditório e conseguirmos uma maquia relevante, o libertam sob fiança?