sexta-feira, 21 de abril de 2006

Se a GNR assinala, eu também.

Esta última quarta-feira verificou-se o inesperado, o irreal: na história da prevenção rodovária portuguesa não há memória de um dia sem mortos na estrada como o que aconteceu esta semana. De tal forma que foi noticiado como um avanço qualquer, como se tivéssemos ganho 1 ou 2 anos na distância que nos separa da Europa. E assim chegamos a Abril de 1992.