quarta-feira, 19 de abril de 2006

Todas as cartas de amor são rídiculas.

Mas ridículo é nunca as ter escrito.