segunda-feira, 15 de maio de 2006

1+1=2.

Ainda que em filmes, tenho a certeza que a temática explorada é baseada na mais pura realidade: Nos EUA há malucos milionários com exércitos pessoais que por um balúrdio fazem caça ao homem num cenário à escolha; por outro lado, o Tarantino ajuda agora um novo cineasta com um filme que explora o argumento do rapto de turistas nos balcãs, que servem maníacos russos com fetish de tortura, daqueles que cortam dedos com alicates e assim até os levar à morte. Entretanto em Portugal continuam a haver tios de meninas de 12 anos, ou menos, que as matam em banheiras de água quente e à paulada na cabeça.

Não deviam exportar estes gajos, como oferta, para estas organizações snuff?

Pronto lá está ele com a pena de morte e as milícias populares, pensam vocês. E eu pergunto: que possível recuperação têm estas pessoas disfuncionais e que justiça há para elas? E quanto custa isso tudo ao contribuinte?