quinta-feira, 6 de julho de 2006

Assim mesmo é que é.

As fatalidades sobrepõem-se sempre à desordem hipócrita do politicamente correcto. E isso agrada-me muito. Não me desconforta nada ouvir coisas como estas:

- Os pedófilos são violados sumariamente por uma vasta comissão de boas vindas ao estabelecimento prisional;

- Os elementos do famoso gang do Multibanco que actuava na Costa da Caparica e que antes de matar uma rapariga obrigaram-na a cavar a sua sepultura, foram todos assassinados dentro da prisão;

- Um funcionário de um banco nos Açores foi assassinado a tiro por um emigrante reformado a quem roubou todas as poupanças, mais ou menos cem mil contos.

No fundo, algumas coisas endireitam-se ainda que sejam por vias tortas.