quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Aquilo que mais me apraz dizer sobre o aborto, nesta altura do campeonato.

O fato do Lobo Xavier na Quadratura do Círculo de ontem era impecável, um espectáculo, ostensivamente italiano, corte clássico, ligeiramente cintado. A gravata também era feliz, muitíssimo telegénica, apesar de não fazer sobressair o tom de pele do António. Gostava de o ter visto com um matiz mais vivo, talvez um dourado texturado. Enfim, não se pode ter tudo.