quinta-feira, 29 de março de 2007

É preciso dizê-lo:

As testemunhas de Jeová e os nacionalistas oportunistas também mordem a fronha.

terça-feira, 27 de março de 2007

Eu sou adepto e não é do Benfica.

Mas sim da ingestão generalizada de químicos. E chateia-me não ter nenhum amigo/a médico com um comportamento desviante, ilegal. É que vou ao limite de conhecer biólogos marítimos que investigam a influência do alumínio no polvo, mas uma receita de dntel, viagra ou mesmo uns míseros lexotan ninguém me passa. Anyone?

Mesmo quando calha estarmos perto dos países nórdicos, afinal não calha.

A primeira e última vez que vi uma repescagem tornar-se pertinente e inédita foi há uns anos atrás num euro qualquer da vida, em que foram buscar a selecção da Dinamarca, que não tinha sido apurada, mas que depois sagrou-se campeã da Europa. Por aqui repescaram o Salazar.

(Mas eu é que sou estúpido e não fui ao Bet and Win apostar o meu milhar de euros, quando o Salazar foi eleito o Pior Português de sempre. Estava na cara que num país tão esquizo o resultado fosse o mesmo para o melhor e para o pior.)

segunda-feira, 26 de março de 2007

Maravilhoso.

Quem me conhece sabe que sou pouco dado a estas merdas do futebol e fátima e o camandro, mas minha nossa senhora, se isto não é intervenção divina, que venham a irmã lúcia e a linda reis provar o contrário.

sábado, 24 de março de 2007

Parabéns.

É uma gastrite crónica.

eco

terça-feira, 20 de março de 2007

Berlengas Murder Mistery.

Sonhei que vivia numa ilha, que na realidade era mais uma aldeia tipicamente portuguesa do que uma ilha, com mais um batatal de pessoas e que uma delas era o Locke do "Lost", que queria, porque queria, o cabrão, matar-me. Bem me diziam os meus pais para não ir para a cama logo depois de jantar que dá nisto.

sexta-feira, 16 de março de 2007

707 299 499.

Estou a ficar com a impressão que o Holmes Place é um bocado a Tv Cabo dos ginásios.

quarta-feira, 14 de março de 2007

Ultimamente, só me saiem destas, desculpem lá, mas é a vidinha.

Era uma futura mamã excepcionalmente cool e descomplicada em relação à gravidez e à iminência do parto. De tal maneira, que na hora da verdade, avisou o médico “olhe que já estou com descontracções vai para cima de quatro horas”.

segunda-feira, 12 de março de 2007

Umbigo.

Pois, diz que sou eu e tal e coiso.

praga_color

quinta-feira, 8 de março de 2007

Gala de Barcelos.

Os tesourinhos deprimentes live que a RTP nos ofereceu na comemoração dos seus 50 anos de airing até tiveram o seu lado salutar. Já o mesmo não se pode dizer das narinas da podre de Albufeira, Merche Romero, que para além do seu habitual ridículo estava ligeiramente inquieta demais.

Casa Cláudia Africana.

Queria tanto distanciar-se dos outros na decoração de interiores, que em vez de estatuetas em pau preto encomendou-as em pau pérrimo.

quarta-feira, 7 de março de 2007

Depois dos Arcade Fire, Klaxons e Bloc Party, a cereja no topo do bolo.

Sendo que, neste caso, a cereja é muito melhor do que o resto do bolo. E não é daquelas cristalizadas, é doce e sumarenta, tipo as do Fundão, mas muito melhores. E não é bem uma cereja, é uma banda, mas é como se fosse uma fruta. Mas estupidamente melhor.

segunda-feira, 5 de março de 2007

Não tenho culpa de pensar nestas merdas.

Trabalhava em vinhos numa herdade em Palmela e desde adolescente que era lésbica assumida. Fã de longa data dos Orchestral Manouevres In The Dark, os amigos tratavam-na carinhosamente por "enóloga gay".

A podre de Albufeira.

Foi assim que à conversa com amigos sintetizámos a Merche Romero.

Prémio Egas Moniz.

O mundo divide-se em dois tipos de pessoas: as que aceitam o Destak nos semáforos e as que não foram lobotomizadas.

sexta-feira, 2 de março de 2007

Já que estamos em maré de desculpas.

Também da Sarah Silverman, em entrevista à Rolling Stone, quando lhe pediram para contar uma piadola curtinha de salão. A resposta foi mais ou menos esta:

"Um pedófilo e uma criança caminham em direcção a um bosque. O pequenote vira-se para o pedófilo e diz-lhe "Senhor, estou com medo", ao que o adulto responde "Tu, medo? E eu, que vou ter que fazer este caminho todo de volta sozinho?"

Os leitores que me desculpem,

as graçolas, muitas vezes gratuitas, acerca de franjas da população, grupos, etnias, credos e outras características legitimas de cada individuo. Caso não o façam, sempre posso dizer que há cómicos credenciados e reconhecidos que fazem piadas como:

Se os negros vivessem na Alemanha durante a II Guera Mundial, não tinha acontecido o genocídio. Pelo menos aos Judeus.
Sarah Silverman.

É o fungágay, fungágay da bicharada.

Isto dá um bom título para qualquer coisa bem-disposta relacionada com a homossexualidade.