terça-feira, 26 de junho de 2007

Finado mas é o caralho.

Apesar do título nada ter a ver com o que vou escrever de seguida, um palavrão fica sempre bem num blog que tem estado adormecido, a decepcionar os nossos leitores familiares.

Por outro lado, Sociologia sec.XXI poderia ser um bom título para este post.
Atentem sociólogos de todo o mundo, tenho duas propostas revolucionárias que, acho eu, vão de encontro às necessidades de todos os que compõem isto a que chamamos de sociedade:
1 - A unidade familiar devia ser formada por um trasal, três adultos. Assim, quer as tarefas de responsabilidade doméstica e administrativa de qualquer lar, quer também os momentos lúdicos, são mais fáceis de repartir e usufruir. No que toca a filhos as vantagens parecem-me bastante óbvias, permitindo assim o trasal revesar-se na sua vida normal pós 21/22 horas da noite. Relativamente à sexualidade é um bocado como se quiser acordar (a escolha de um parceiro extra deve ser falada e estudada entre os dois elementos do que antes era então o/um casal). E agora não me estou a lembrar de mais vantagens, mas jusqu'à ici tout va bien.
2 - Os fins-de-semana deviam ser como o Natal, quando um homem quisesse: previamente acordado com a empresa da qual somos dependentes, no ínicio do ano as pessoas deveriam poder escolher dois dias seguidos de folga. Assim, se eu escolhesse a quarta e quinta, poderia apanhar a culturgest aberta à tarde, sem grandes enchentes, supermercados visitáveis, sem grandes enchentes. Até podia ir a Belém se quisesse.

E não ajudo mais, que depois é tudo a aproveitar e a brilhar com as minhas sugestões.