quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Humor negro.

Observação prévia: a primeira metade da manhã no local de trabalho pertencente à entidade que tão gentilmente me emprega é utilizada como uma espécie de quadratura do círculo mas com piores gravatas que as do Lobo Xavier, melhores gravatas que as do Pacheco Pereira e algum vernáculo muito pouco "television friendly".

Hoje, a propósito da mãe deprimida que ontem, digamos, fatiou os filhos com uma faca eléctrica de cozinha (presume-se que desligada, ou com uma extensão muitíssimo comprida - escapou-se-me o 24 Horas na copa, hoje), e do pai, GNR ausente há uns dias, que encontrou o cenário dantesco em Viseu (o pessoal de Ílhavo para cima é todo um bocado Tojó).

"Bem, ouvi dizer que estava lá em casa um ambiente de cortar à faca."

"Diz que os filhos estavam mortinhos de saudades do pai."

Eu almejo a normalidade, mas como?

PS: Nenhuma das piadolas me pertence. Com pena minha, porque são boas piadolas, dentro do género total ausência de espinha dorsal.