sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Bom fim-de-semana, heterossexuais.



Frank Zappa - He's so gay (orgulho hetero).

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Estou quase a fazer 30 anos, tenham santa paciência.

Passaram 13-anos-13 desde que um filme que não pertence a nenhum realizador europeu nem aos mais "sundanceanos" realizadores americanos, mudou a minha vida. Por mais PT Andersons, Blade Runners, American Beauties ou Citizen Kanes que passem por estes olhos cinéfilos, esta película merecerá sempre o estatuto perfeito para qualquer adolescente conturbado (não fomos/somos todos?) - o filme certo, na altura certa.

Repleto de raiva, vingança e, sobretudo, solos de guitarra sofridos interpretados no topo de arranha-céus, "O Corvo" é a "teenage angst" personificada dos 90's. Sim, agora temos Gus Van Sant, Larry Clark (e o brilhante "Kids" ainda é do meu tempo) ou Michael Cuesta a responder às ânsias e revoltas dos "kids" de hoje. Temos os Fall Out Boy a gritar sobre as cheerleaders contidas, as insistentes virilhas da Britney Spears e os charros dos Morangos com açúcar (até ao dia em que descubram o adoçante, os marotos).

Eu tive isto. Vi-o cinco-vezes-cinco no cinema e outras tantas via videoclube, quando ainda os havia. Não é um Bergman, não é um Lynch, não é um Kieslowski, nem sequer um Cameron Crowe chega a ser. Mas, damn, aquele solo no arranha-céus foi, é, e vai sempre, sempre, sempre ser o meu Rosebud.

crow

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Acidente no IC32.

A brigada de trânsito está a dirigir os automobilistas para a Moita.

in Rádio Oxigénio.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Should've met you in the 80's.

80

ahahahahahahahaahahaha

Rio das Flores:
Pulido Valente leu o novo livro de Sousa Tavares e não gostou.

in Público online de hoje

Obrigado Alvim.

Já me tinha questionado porque é que em situações de trânsito intenso, as mulheres nunca deixam entrar, passar ninguém nos cruzamentos, até que há uns dias ouvi uma boa explicação do Alvim: porque têm medo de deixar o carro ir abaixo.

A Rihanna comanda a vida.



As marquinhas nos joelhos são um must que só os eleitos saberão dar o real valor.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

É o Natal estúpido (sem vírgula) #1.

Os blocos publicitários de 23 minutos, com 18 deles pertencentes à Popota.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Vou ter que o autuar.



Radiohead, num fabuloso "Karma Police", dum não menos que genial "Ok Computer".

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Cheerleaderismo, lá está.

O gasóleo agrícula está caro.



Diesel Power - The Prodigy

Carta aberta ao Romovil.*

Man:

És familiar da Ludmila?

* Extremoso e dedicado funcionário da PARK, ao serviço da EMEL.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

C-h-e-e-r-l-e-a-d-e-r-i-s-m-o-s.

Give me a 'C'
Give me a 'A'

Give me a 'G'
Give me a 'A'
Give me a 'N'
Give me a 'D'
Give me a 'A'

Give me a 'E'
Give me a 'S'
Give me a 'T'
Give me a 'U'
Give me a 'P'
Give me a 'I'
Give me a 'D'
Give me a 'E'
Give me a 'Z'.

Tenho andado a salvar o mundo.






















E a ver a season 1 de Heroes à bruta, portanto.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Carta aberta à Ludmila*.

Querida Ludmila*:

Espero que não consideres abusivo o epíteto carinhoso, mas a verdade é que considero que somos muito próximos de almas gémeas. Não foram poucas as vezes em que, por escassos segundos, nos perdemos no limbo do buliço da grande cidade. De tantas características admiráveis que reúnes, escolheria a tua caligrafia - reconheceria essa assinatura, redonda e suave, numa dedicatória de um livro, numa nota de crédito ou até num cheque careca. A tua frondosa e longa melena dourada é objecto dos meus sonhos, mesmo quando estou acordado. E sim, o boné cinza com que a cobres torna tudo ainda mais misterioso, como o amor deve ser. Tudo isto para dizer, adorada Ludmila, que sinto mesmo que somos parte um do outro (mais tu parte de mim, mas o que conta é a intenção). Mas, mesmo assim, confesso que, com tantos carros sem dístico de residente na rua, teres escolhido multar só o meu é capaz de ser ligeiramente excessivo. Não leves a peito, minha amada, sei que é só uma prova do teu amor infinto, mas, para a próxima, caga nisso.

* Extremosa e dedicada funcionária da PARK, ao serviço da EMEL.

sábado, 10 de novembro de 2007

O evangelho.

music_light

A moda, a mediana, a média, os tomates.

Não sei o que é que os estudos de mercado dizem, mas cá por mim, só me apetece é comprar pochetes da Luis Vuitton e material diverso da Reebok. Deve ser isto que os marketeers apelidam de eficácia.

s_2

s_1

Head&Shoulders.

A cabeça é a dele, os ombros, definitivamente, os dela. Juntos, são o tal do 2 em 1.

s_4

Malta, acho que a xafarica precisa de uma nova musa.

Mas ainda não é hoje.

s_3

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

O amor tolda.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Nao pode ser.

Mulheres de 30 anos, de calção e bota pelo joelho, mas ainda a ver-se o joelho debaixo do collant, é de uma vulgaridade tal que me faz escrever calções e collants no inexistente singular. Ainda assim escaparam-se ao trintona.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

O Menezes bem me saiu uma bela merda de líder de oposição.

Vai ser cilindrado nas eleições que até apita. Muita parra e pouca uva é o que é, o homem não sai da toca. Até faz pena, é dono da bola e nem assim consegue jogar. Copista do caneco, sim, porque eu não me esqueço que o menino picou uma data de coisas para o blogue que depois em vez de ser dele era do assessor, apesar de ser o primeiro a assinar e mais não sei quê.

Ainda por cima foi apanhado pela ex-mulher por causa de um SMS que se esqueceu de apagar, é pouco parvo é.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

O meu (vá, mais ou menos) pequeno pónei.

Eu, que mal sei soletrar a palavra eclético, decidi dedicar-me a, no espaço de três dias, enriquecer-me culturalmente com as pernas do Zidane, o cólon perfurado do Mr. Hands e as dúvidas em fumar um charro do Bruno. Depois da análise, um comentário: Bruno, fumar por fumar, dá-lhe na erva, que vem da terra, man.

Post para quem anda com a auto estima em baixo.







E foi deste grupo de amigos parodiantes, sempre prontos prá rambóia, que nasceu a Microsoft. Particular destaque para o Bill no canto inferior esquerdo.

Cantando e dançando,

nem fodendo.

sábado, 3 de novembro de 2007

Isto sim é dinheiro bem empregue.

jack

Auto retrato em mi menor.

auto

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Juro que me sentei aqui determinado a postar.

Mas já não me lembro porquê. Só me lembro que tenho uns filetes de espada com arroz de tomate ao lume. Por falar em amnésia e peixe, o maradona mudou de poiso. Não têm de quê.